A thyssenkrupp é reconhecida como líder em proteção climática

A proteção climática na thyssenkrupp é reconhecida mundialmente: pela quarta vez consecutiva, a organização sem fins lucrativos CDP (anteriormente Carbon Disclosure Project) reconheceu nosso Grupo como líder internacional em proteção climática.

Somos mais uma vez uma das 179 empresas internacionais que fazem parte da “Lista de Proteção Climática” do CDP. Um total de 8.400 empresas participaram da avaliação. A escala varia de A, para melhor desempenho, até F. O ranking avalia se as empresas criam transparência a respeito de seus dados relevantes para o clima e formulam uma estratégia coerente sobre como podem melhorar não somente a sua própria pegada de carbono, mas também a de seus clientes e fornecedores.

Informações como as fornecidas pelo CDP estão se tornando cada vez mais importantes para os investidores, entre outros. A demanda por oportunidades de investimento sustentável hoje excede em muitas vezes a própria demanda. Há alguns anos, os gestores globais de ativos vêm classificando as mudanças climáticas entre os três maiores riscos globais.

O CDP realiza sua avaliação anual em nome de mais de 500 investidores com ativos de mais de 96 trilhões de dólares. A organização possui a coleção mais abrangente do mundo de dados climáticos relacionados às empresas, que é considerada uma referência no mercado de capitais.

Martina Merz, CEO da thyssenkrupp: “O ranking confirma que estamos no caminho certo para reduzir consistentemente a nossa pegada de carbono na produção e em nossos produtos. Consideramos a proteção climática não apenas uma obrigação, mas também uma oportunidade para novos negócios”.

De acordo com sua estratégia climática, nosso Grupo pretende ser neutro em termos de clima até 2050, não apenas em seus próprios processos e da energia comprada, mas também em termos de emissões de nossos produtos. Até 2030, queremos reduzir em cerca de 30% as emissões de nossa própria produção e na compra de energia. As emissões do uso de nossos produtos deverão ser reduzidas em 16% até 2030.

A iniciativa Science Based Targets (SBTi) reconheceu, no verão de 2019 no hemisfério norte, as metas climáticas da thyssenkrupp como sendo baseadas em ciência. Ao mesmo tempo, a SBTi confirmou que a thyssenkrupp está se alinhando aos objetivos da Conferência Mundial do Clima de Paris de 2015.

O CDP publicou deliberadamente a “Lista A” deste ano no dia anterior ao início do Fórum Econômico Mundial de 2020 em Davos. A agenda da reunião deste ano, que reúne especialistas econômicos, políticos, cientistas, atores sociais e jornalistas de destaque internacional, está fortemente influenciada pela crise climática.

Video clip

tk-play